Luan Santana: O que todos nós esperamos de um relacionamento?

Imagem: Reprodução

Olá, queridos (as) leitores

Como vocês estão?

Essa ideia de que vamos entrar numa relação sem expectativas para não sofrer não existe. Todos nós esperamos alguma coisa de alguém e ainda bem que é assim. Já pensou se não esperássemos nada? Que critério teríamos para dizer se aquela relação é boa ou ruim se não for avaliando a partir de expectativas que precisam ser atendidas?

Trago, portanto, para vocês três coisas que esperamos em maior ou menor grau em qualquer relação. Vamos a eles:

1 – Segurança

Imagina você andando por uma rua deserta, à noite e sozinho, deu medo? (risos). Agora imagina uma viatura com 4 policiais preparados, melhora, não é? Segurança nas relações é a certeza de que alguém fará algo pela gente, ou seja, confiamos que a outra pessoa estará presente no momento que mais precisaremos. Seja entre pais e filhos, cônjuges ou amizades, sempre buscamos a segurança e quando não a temos, como poderíamos amar vivendo sob o medo de ser esquecido ou traído?

2 – Coerência

Vivemos num mundo onde a palavra dita perdeu seu valor. Estamos declarando sentimentos que se mostram intensos num momento e no outro é frio a ponto de quase não existir. Fazemos promessas que não vamos cumprir e falamos do futuro sem a intenção de lutar para que ele aconteça. Esperamos que o outro seja transparente conosco e jogue limpo, mas quando isso não acontece, como poderíamos nos sentir felizes ao seu lado?

3 – Afeto

Afeto é tudo o que recebemos de alguém que pode ser compreendido como um ato de carinho, dedicação ou amor. Quem não quer isso? Quem não quer o abraço apertado ou o ouvido atento para que possamos nos sentir acolhido? Pois bem, um relacionamento sem afeto tende a se tornar vazio, pois ele é a expressão por meio de atitudes daquilo que o outro sente por nós, se ele não existe, como poderíamos pensar que o outro nos quer por perto?

Às vezes o caminho não é diminuir as expectativas, mas entender que algumas relações são infrutíferas porque o outro não está a fim de fazer nada. Se isso está acontecendo, talvez seja a hora de repensar esses apegos desnecessários.

Até a próxima pessoal.

 

Publicado em: http://www.euclidesdacunha.comnews/print/id/2878