Prisão de casal jovem pode elucidar roubo de celulares na cidade

Imagens: Reprodução

Rápida ação da Guarda Civil Municipal (GCM) de Euclides da Cunha prendeu na manhã deste sábado (12), por volta das 5h, um casal de jovens que havia cometido assaltos no bairro Jeremias. A partir de uma denúncia, a guarnição municipal se dirigiu imediatamente para o local indicado, onde encontrou duas mulheres que confirmaram terem sido vítimas de assalto à mão armada, crime cometido por um casal, cujas características foram passadas e a direção para onde os meliantes haviam fugido.

 
Uma rápida e rigorosa busca pela área, culminou com a localização do casal que, ao ser abordado, com o jovem foi encontrado objetos das vítimas. Identificado como Rodrigo de Jesus Santos (20), que portava um simulacro de arma de fogo, provavelmente usado para intimidar as vítimas. A jovem que o acompanhava, por força do Estatuto da Criança e do Adolescente, não pode ter o nome divulgado, apesar de ter 17 anos de idade, quando todos sabem que os anos já vividos são suficientes para discernir entre o bem e o mal, por tanto, consciência de seus atos praticados. Ao jovem foi-lhe dada voz de prisão, e, para a jovem, voz de apreensão, seguido de condução da dupla para o Complexo Policial Civil de Euclides da Cunha, onde foram apresentados juntamente com os objetos apreendidos à autoridade policial, para adoção de medidas cabíveis.
 
A prisão de Rodrigo e a apreensão da jovem, pode ter aberto caminho para elucidação de vários roubos que tem acontecido ultimamente na cidade, alguns dos quais cometidos, coincidentemente, por um casal de jovens.
 
A Polícia Civil pede ajuda da população, principalmente das vítimas de roubo de celulares e outros objetos de uso pessoal tomados durante o assalto, para comparecerem à 1ª Delegacia de Polícia Civil Judiciária, para fazer o reconhecimento dos objetos apreendidos, resgate dos mesmos e, se possível, o reconhecimento dos meliantes.
 
Rodrigo, que postava foto se exibindo nas redes sociais, poderá responder por porte de arma de fogo, apesar de estar portando um simulacro (imitação), além de ser enquadrado no artigo 157/CPB (roubo com uso de arma de fogo). Já a jovem, mesmo com 17 anos de idade, poderá ser ouvida e liberada sob a responsabilidade dos pais ou responsáveis, Conselho Tutelar, com o inquérito encaminhado ao Ministério Público Estadual, que deverá adotar medidas cabíveis para o caso.
Bom trabalho da GCM.

Publicado em: http://www.euclidesdacunha.comnews/print/id/2777