Luan Santana: É depois do erro que o amor mostra se realmente é verdadeiro

Imagem: Reprodução

Olá, leitores

Quero propor uma daquelas histórias quase reais, vamos lá?

Thomas era um adolescente de 17 anos que passava por uma fase dificílima na sua vida. A ponto de ter que decidir seu futuro profissional, a pressão sobre seus ombros aumentou exponencialmente, ele não estava preparado para aquela decisão, ao menos não naquele momento.

Nesse ponto, ao se aproximar de sua formatura, seu coração começou a procurar distrações sabotadoras. Thomas passou a se envolver com amigos novos que fez no campo de futebol e em um dessas saídas, ele passou dos limites da curtição.

Seus pais o pegaram bêbado, quase sem sentido, desmaiado. De lá para cá, o clima em casa ficou tenso.

- Você deveria estar se preocupando com seu futuro, você não foi criado para isso! – Disse o pai em voz alta e autoritária

- Meu filho, você é um menino tão bom, por que está fazendo isso? – Disse a mãe apaziguadora, mas não menos sufocante.

Thomas continuava em silêncio, algo nele estava quebrado, e pelo medo de não ser compreendido, ele não explicava.

O decorrer daquele ano foi desse jeito, de transgressão em transgressão, Thomas ia adiando sua decisão e cansando seus pais.

- Amor, nãos sei mais o que fazer com nosso filho, não aguento esse silêncio dele – Disse a mãe.

- Será que fomos nós que o estragamos? – Pergunta o pai aflito.

- Eu não sei, mas temos que descobrir. A partir de hoje, vamos mudar com ele.

A cada erro dele era dado mais presença. A cada transgressão, um abraço. A cada reclamação, alguns elogios. Os pais trocaram o julgamento implacável pelo acolhimento e pela paciência.

Até que um dia, mexido com a dedicação dos seus pais, Thomas falou:

- Pai, mãe, eu preciso de ajuda e acho que só vocês me entenderiam.

Seus pais o abraçaram e perguntaram:

- Do que você precisa, meu filho?

- É isso, eu não sei o que eu quero e tenho medo de querer algo – disse entre uma lágrima e outra.

Thomas enfim quebrou o silêncio. Ele só precisava de amor.

E aí, caro leitor? Me diz você, não é disso que todos nós precisaremos algum dia também?
 

*Psicólogo Luan Santana. CRP: 03/11290 - Cel.: (75) 9 9895-4918

www.luansantanapsicologo.kpages.online/spd

Publicado em: http://www.euclidesdacunha.comnews/print/id/2734