Euclidense de apenas 15 anos é aprovado em vestibular de Medicina

Fotos: José Dilson - euclidesdacunha.com
Matheus Henrique Costa Xavier, de apenas 15 anos de idade, filho de pai separado, serve de exemplo para muitos jovens que deveriam estar na escola, numa faculdade, mas preferem enveredar por caminhos não recomendados que os levam a lugar nenhum, isto, quando não têm o ciclo da vida interrompido abruptamente pelos criminosos que aliciam adolescente e jovens que poderiam ter um destino promissor e muito útil para a sociedade, mas que ingressam na marginalidade e passam a ser mantidos pela sociedade que trabalha e produz, sem que apareça a esperançosa luz do fim do túnel.
Filho de professora e pai motorista, cuja separação do casal aconteceu desde que o filho nasceu, segundo sua genitora, a expressão de origem indefinida “quem pariu Mateus que balance” ou, “quem pariu os teus que o embale” foi cumprido à risca pela mamãe Eridan Santana Costa, que não só o embalou para dormir, como também soube cuidar e educar muito bem de uma criança que só lhe tem sido motivo de alegria, satisfação, orgulho! 
 
Quando mãe e filho chegaram à sede do Site euclidesdacunha.com para falarem sobre a elaboração desta reportagem, via-se, perfeitamente, a timidez de um jovem que acabara de sair da adolescência, que usa aparelho ortodôntico, a contrastar com o mimo de uma “mãe-coruja”, que às vezes o deixava um pouco mais encabulado, mas, certamente cheio de orgulho por ter sido educado e estar sendo preparado para abraçar uma carreira profissional das mais respeitadas, que cuida da saúde das pessoas, que em muitos casos até lhes traz de volta à vida. 
Matheus sempre teve uma vida regrada, gosto pela leitura, que não troca livro por uma bola de futebol, de um bom filme, preferencialmente películas científicas da série Netflix, livros e revistas que publicam artigos científicos, anatomia do corpo humano, coisas do gênero que lhes causam satisfação, como um jovem predestinado a vestir jaleco branco, andar de estetoscópio no pescoço, em substituição ao chamado colar “batidão”, muito comum entre os jovens, para cuidar de vidas humanas, quando deveria, por estar na flor da idade, aproveitando a vida com ludicidade. 
 
Amante da literatura cinematográfica americana, principalmente de suspense e mistério, leu, em quatro meses, todos os sete volumes da coleção Harry Potter, que ganhou da mãe, e flutuou pela literatura junto a Harry e seus amigos Rony e Hermione, personagens da saga criada por J.K. Rowling.  
 
Excelente aluno, inteligente, dinâmico em suas atividades pedagógicas, aos três anos de idade já estava alfabetizado e não tinha mais como continuar na “escolinha da tia...” aprendendo formar palavras, montar desenhos com figurinhas, cubinhos, etc., Matheus Henrique estava muito além de seus coleguinhas e foi para uma escola onde meninos de idade e fisicamente bem mais elevada e forte, deixando algumas etapas para trás.
 
Recentemente, o menino prodígio se inscreveu e participou do SISU - Sistema de Seleção Unificada/MEC, sendo aprovado no exame, para alegria da mamãe Eridan. Nesta segunda-feira (05), na companhia da mãe, viajou para o Estado de Sergipe, para fazer a pré-matrícula na Universidade Federal de Sergipe, Campus de Lagarto, principal cidade do Estado, depois de Aracaju. 
 
Matheus Henrique é, sem sombra de dúvida, um excelente exemplo para muitos adolescentes e jovens que vimos circulando pela cidade, ostentando muitas vezes o que não tem, envolvidos com coleguinhas que pensam muito pouco ou quase nada, que burlam os pais e matam aula e se tornam grandes frequentadores das salas de professores que se reúnem em conselho, ao final do ano, para aprová-lo, até mesmo quando são reprovados totalmente.
 

Publicado em: http://www.euclidesdacunha.comnews/print/id/2331